segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Corra que a fila anda, ou não!

Um dia desses, minha magra amiga tatuada com duas flores de lótus na bela cinturinha me disse: Gordura, faz um post sobre as filas! Como pedido de mina gata é uma ordem, aí está! Atenção garotas, não folguem! Não crio posts por encomenda, mas dependendo da proposta, revejo.

Nas linhas que seguem darei alguns depoimentos pessoais e explanarei sobre o alinhamento de uma série de indivíduos em sequência, de modo que um esteja exatamente atrás do outro, a famosa e mal-quista FILA!

Todo lugar que a pessoa vai é aquela história: no banco, no McDonalds, na balada, no mercado, na lotérica e se bobear até no motel. Pessoas, carros, motos, malucos e normais enfileirados, esperando a competência, ou boa vontade da pessoa que está em seu começo com cara de busanfa, como se estivesse fazendo um favor praqueles que nela estão.

Magrão já desistiu de entrar em alguma balada por que perdeu a paciência, e olha que são poucos lugares que preciso encará-la como todo mundo, heim ( rsrrsrsrsrsrsrsrsrsrsrs, falou a versão: Magriça V.I.P.)

Acho que a primeira fila da humanidade foi assim: a primeira puta – a prostituição é uma das profissões mais antigas da existência – estava com a agenda lotada, e os promíscuos famintos por sexo pago aglomeraram-se de forma ordenada, para que pudessem ter seus desejos atendidos, logicameeeeente que por ordem de chegada, afinal, ninguém quer comer sobra dos outros!

Aqui na Hell City as filas são sinônimo de desrespeito, falta de educação e presepadas sem fim. Sempre tem um playboy escroto que passa trombando sem pedir licença, e muito menos desculpa. Dá pra imaginar um gigantão barrigudo e bombado, com uma camisetinha “P”, dando um chega pra lá ni Magriça, num dá! Também rola aquela cocota fanfarrona, montada na maquiagem e no vestidinho de grife chique no MT e podre no RJ, que já tomou 3 tacinhas de champagne pseudo glamuroso, com modos de “ zagueiro do time feminino do Mixto”, passando e olhando pra mim com aquela cara de “ olha isso, ele tá de all-star e camiseta, hihihi”. Essas são as que derrubam bebida nos amiguinhos. Lembrando que as palavrinhas mágicas: por favor, com licença e desculpa ainda não chegaram por aqui, muito menos são ensinadas nas escolas e casas! Ahh, também rolam os malandrões da fila V.I.P., aquele sujeito suuuper esperto que entra na fila pequenininha, faz cara de “ pRayboy” – porque não a tem - fica lá dando uma de gááánso e pimba, tá dentro!

Quando tenho que pegar o “rabo da bicha” – calma, isso é fim da fila no português lusitano – vários grilos passam pela minha cabeça: tipo, será que dou uma de malandro e já colo na entrada!? Será que vou ali com aquele conhecido pra não precisar entrar no final!? Será que espero ou vazo!? Cada fila é uma vida diferente, sentimentos diferentes e acontecimentos surpreendentes!

Acho que é isso, já destilei meu ódio e minha revolta!

Agora é hora de você contar algum “causo”. Vá pra sessão de comentários e entre na fila! rs

Serviço:

1 – O réveillon na Bia foi tudibão! Bão mesmo!

2 – Feriado prolongado na Chapada, regado a muita neblina, chuva e ótima companhia. Perfeito para recarregar as energias e começar bem o ano! Obrigado Simmy!!!

3 – Magrão quase perde o limite, mas jamais perde o respeito! AuAu

4 – Onde já se viu um réveillon na Chapada sem after!? Esse mundo tá perdido mesmo!

Lucas aka Gordura

O set low BPM da cena

6 comentários:

factoide.com.br disse...

Ótimo post Gorduraz! Filas realmente é fida, ainda mais quando não há respeito. Existem também as longas filas de estacionamento..

Daniel Soares
www.Factoide.com.br

Edimar Rodrigues disse...

Bom... Não gosto, sempre que é possível escapar eu dou um pedala na "bicha".

Ronaldo Meirelles disse...

Só descordo de um ponto. Aqui em Cuiabá filas são sinonimo de lugar "bom", "agito", "todos os meus amigos estão lá". Sugiro também um posto sobre "ser V.I.P no lugar mais lotado da casa, onde a fila para entrar é maior, onde tem menos bar e se paga mais caro" ;)


abraço.

Ronáldo!

Carpatia disse...

uhauha, ri demais com o texto. Agopra toda vez que eu olhar (ou estar) para um fila vou lembrar e refletir. Ainda mais se uma mina aparecer do nada e fazer a cara de “ olha isso, ele tá de all-star e camiseta, hihihi”... huahuaha
legal demais.

Dewis

Leandro F disse...

Fala gorduraz... seguinte.. de cara.. fico revoltado por ser politicamente correto, diga-se "educado" e ir ao final da fila como se esperaria de todo mundo, e ainda ser tachado de TROUXA.

Segundo a observação que fiz na última white label, que não tem nada a ver com a organização, mas sim com o comportamento do público: a fila da entrada "V.I.P", a área "V.I.P", os bares da área "V.I.P" estavam extremamente, mas muito maiores doque a entrada pista! Cbá tá compensando não ser vip. Heheh

abraço;..

Michelle disse...

Achei legal o post...
e o que tenho para opinar sobre filas, é que aonde quer que seja iremos encontra-lass... trabalho no melhor club da cidade, o mais badalado, tentando fazer as filas andarem, diminuirem e chegar ao fim a cada noite... esse processo começa comigo e segue p/ dentro do club onde os atendentes com seus computadores e muita educação fazem o cheking p/ vc entrar e curtir sua super noite... as vezes, fogem do nosso controle, pois, balada, mexer com pessoas nunca foi uma coisa facil em nenhum lugar do mundo, mas, adoroo e com muita paciencia e simpatia vamos tentando deixar nossos clientes satisfeitos... com certeza é essa a intenção!!

 
Forensic Accounting
Forensic Accounting